bandeira (flag)bandeira (flag)

Ciclovida viaja para o ENCA (Junho/2011)

Relatório 30/06/2011

Hoje resolvemos parar. conhecer o grupo emaús e descançar um pouco. 
 

Relatório 29/06/2011
 
Saímos cedinho, e nos determinamos chegar em tucano, que fica a 56km de distância de Euclides da Cunha. chegamos em um destrito e paramos para olhar o pneu da bike do Inácio, que estava secando quando, uma mulher nos ofereceu a merenda da escola. Era a merendeira. e aceitamos. seguimos em busca de Tucano. chegamos 16horas na cidade, e procuramos o Emaús de Tucano que fomos muito bem recebidos pelo Jonas, Boa Hora e Nenem.

Relatório 28/06

   De manhã, fomos registra nossa passagem pelo assentamento tirando fotos com a galera. e depois pegamos um carro até a cidade.
   já tínhamos decidido a pegar um ônimos para atravessar um trajeto perigoso de Salgueiro a Cabrobó, e um deserto de Cabrobó a Euclides da cunha.
    pegamos o ônibus as 14horas e chegamos em Euclides de noite. Procuramos um posto onde conceguimnos dormida.

Relatório 27/06

    Saímos de Penaforte e fomos em busca de Salgueiro, PE.
    compramos pães com ovos e fomos procurar um local para preparar nossa merenda. achamos uma arvore do lado de um açude.
    Depois da merenda fomos pedalar até Salgueiro. Que chegamos lá meio-dia. fomos atraz do sindicato dos trabalhadfores rurais a procura de abrigo.
   falamos com Dilma, a recepcionista. que chamou mais pessoas para solucionar o caso. veio Dezinnho, Marcos e Ivoneide. os tres se preocuparam em dar um jeito na situação e decidiram nos levar de carro para um assentamento há uns 8km de distância: Monte Alegre.
    Cheamos lá e fomnos muito bem recebidos pelo seu Antônio, João do motor, que nos levaraqm para sua casa onde jantamos e falamos com seu Manoel e Chico. que nos contou a sua história e a de seu assentamento. depois fomos brincar com as crianças:Nenem,Veín, Andressa, Eliene, Bodó, Erick, Vinícios, Rosa Maria ( perdão se esquecemos de algem ).
    conversamos com dona Elena e Dona Luzia, e fomos dormir na casa recem contruída de seu Antonio.

Relatório 26/06

    Saímos cedinho e pedalamos até um local bom para fazer fogo e cuzinhar. não demorou muito e achamos um local ótimo, na ária do  Miguel, mais conhecido como "Barão" que nos ofereceu um banho.
    depois de fazermos a merenda e o almoço saimos em busca de Penaforte( a ultima cidade do Ceará).
    chgegamos lá anoitinha e procuramos um posto atraz de dormida que nos deram.

Relatório 25/06

  Decidimos conhecer Brejo Santos e ficamos para concertar o pneu traseiro da bicicleta da Amanda.
  fomos na feira, reciclamos frutas  e verduras da feira.
  Saimos a tardinha e pedalamos uns 10km e paramos em um distrito chamado Lagoa do mato e conceguimos janta com os moradortes de lá que eram maravilhosos.
 e depois de qarmar a barraca fomos dormir na praça.

Relatório 24/06

   Ao acordar arrumamos nossas coisas e fomos em busca de Milagres
   Chegamos lá as 13horas e fomos concertar a bicicleta de Inacio que furou o pneu e fazer o almoço.
   terminamos tudo as 14:30horas e partimos para Brejo Santos, denovo tivemos que pedalar a noite para chegar na cidade.
   chegamos e fomos procurar o Cabral, um companheiro de longas datas de Inacio, mas ele não estava e fomos atraz de dormida em um posto de gasolina na cidade que nos ofereceu um dormida do outo lado da pista pois não mavia espaços no posto.

Relatório 23/06

      Hoje, fomos merendar na casa da prima de Inacio: Damiana. e conversar com seus parentes Francisco, welinton, Tadeu, Damião e sua companheira, pela primeira vez depois da morte do seu tio Quinco.
     tinhamos decidido sair hoje de manhã, mas resolvemos aceitar o convite de Vicencia para esperar e almoçar juntos, enquanto Diego tentava consertar o computador do Inácio que não teve jeito.
     Fomos em busca de Missão velha, passando por Barbalha que é uma cidade encantadora.
     paramos para um lanche na praça e seguimos viagem.
     Anoiteceu e estavamos a uns 12km de Missão Velha, e tivemos que continuar pedalando. chegamos lá por vouta de 19horas e procuramos um posto de gasolina para passarmos a noite, e eles nus mostrou a rodoviaria como melhor opção e na rodoviaria os guadas nos mstraram o CSU como melhor opção e tivemos que nos abtigar lá.

Relatório 22/06
  
   Nesse dia acordamos na casa de Tereza selecionamos algumas coisas para deixa, devido o peso desnessesário que que carregávamos e fomos para a casa do primo do Inácio: Nonato. Almoçamos lá. Ele nos mostrou a sua fábrica de artezanatos que ele mesmo cria as ferramentas e os produtos.
    Sandino e Amanda foram na Internet colocar o relatório em dias e Inacio e Ivania foram levar a bicicleta da Ivania e da Amanda a oficina.
   A noite fomos jantar na casa da tia do Inacio: Vicencia.
   Fomos dormir em um local na fábrica de Nonato.

Relatório 21/06
   Saímos 9:00 horas de Gralhada e fomos em busca de Granjeiro. essa região é  ruim de andar pois tem muitas ladeiras e altos enormes, mas é compensada pelas paisagens belíssimas.
   Chegamos em Granjeiro 11:30 procuramos um local para fazermos o nosso almoço. encontramos uma grande arvore abeira da estrada e ao lado de um rio e e decidimos que seria este o local.
   Depois do almoço descansamos um pedaço e voltamos a estrada. só não imaginávamos a quantidade de altos que teríamos que subir. subimos uma serra ENORME. quando íamos descer um cara nos chamou e ofereceu uma carona até Caririaçu: nosso próximo
destino. aceitamos na hora, e ele nus ajudou a colocar as bicicletas no caminhão. depois que estávamos no caminhão foi que vimos que não chegaríamos em Caririaçu nem no dia seguinte devido as ladeiras que íamos descer todas empurrando.
    Quando chegou em Caririaçu, surpresa! ele ia nus levar até Juazeiro do Norte que ao mesmos tempo pulamos de alegria pois teríamos muitos autos a percorrer.
    chegamos em Juazeiro 18:00 da tarde procuramos a casa da madrasta do Inácio para passarmos a noite e fomos muito bem recebidos lá.

Relatório 20/06
Saímos de manhãzinha e seguimos em busca de Vazia Alegre. chegamos em um distrito que tem a Igreja mais velha do Ceara e aonde encontramos uma prima do Inácio. conversamos um pouco e seguimos viagem.
   subimos uns três autos e passou um caminhão de areia e não pensamos duas veze em pedir carona. conseguimos a carona até a cidade de Varzia Alegre: nossa primeira carona. ai percebemos que tinha pela frente MUITOS autos.
   chegamos na cidade 10:00 horas e fomos em uma oficina para reparar as bicicletas que estavam muito ruim. e mais um cara solidário fez tudo de graça pra gente. fomos merendar e esperar o tempo esfriar pra voltar a pedalar.
    Saímos umas três da tarde e fomos em busca de Granjeiro que fica a uns 30km de distancia. saímos e logo precisamos subir uma serra enorme. quando chegamos ao topo, o pneu do Inácio( como sempre) dá o prego. então lá vai a gente remendar o pneu, já quase no escuro, ai passa uma carona e leva nós até um distrito chamado "Gralhada". e fomos para uma casa na beira da estrada: um pessoal muito bom e acolhedor. nos deram comida, banho, dormida, e fizemos muitas amizades.dormimos lá.

Relatório 19/06
Acordamos no Fautino que tinha comprado merenda para a gente. merendamos e fomos seguir viagem em busca de Iguatu a onde tinha um resto de feira e as coisas lá eram muito caras. falamos com alguns feirantes e conseguimos muitas frutas e verduras de graça.
   seguimos viagem para Varzia Alegre, Que fica a uns 60km de distancia de Iguatu.
nesse dia estava muito quente. e não conseguimos andar muito e paramos em um distrito chamado "Umburama" aonde conseguimos almoço de graça na beira da estrada. almoçamos e seguimos caminho p/ Vazia Alegre  mas só conseguimos chegar em Caipu que fica a 25km de distancia. lá conseguimos abrigo em um terreiro de uma casa que fica ao lado do posto. jantamos e dormimos.

Relatório 18/06
     Hoje acordamos cedinho e fomos pedalar até o centro da cidade, a onde compramos merenda e algumas verdura pra fazer o almoço na estrada.
    Pedalamos até um açude que fica a uns 5km da cidade e fizemos o nosso almoço lá mesmo. pedalamos mais 18km até um distrito chamado "Urubu" aonde um cara nos deu um saco de milho verde. paramos para almoçar e saímos 13:30 da tarde.
    Quando chegamos a uns 6km de distancia da cidade de Iguatu o pneu do Inácio furou três vezes seguidas, tempo suficiente para anoitecer. veio várias pessoas muito solidárias conversar com a gente e perguntar se aquilo era promessa. explicamos a nossa história e o motivo da viagem. eis que aparece faustino, um homem muito bons e nos dá acolhida, janta e banho. e dormimos lá mesmo a uns 6km de Iguatu.

Relatório 17/06:
Depois da acolhida em Piquet Carneiro na casa de Lelê. fomos em busca de Acopiara, que fica a 53 km distancia.
A estrada tinha muitas subidas e decidas. por isso andamos 18km de manhã e fomos almoçar em uma cidade chamada "Zorra" que parece fazer jus ao nome.
saímos 15:00 horas da tarde e fomos em busca de Acopiara. Chegamos em Acopiara a noite e logo procuramos um posto pra arma as nossas barracas e dormir.

Dia 13 de junho - 2º feira
Tomamos café com pão na padaria e Inácio foi tentar consertar o guidão de sua bicicleta cargueira. Depois de tentar arranjar outro, sem sucesso. Mas deu certo a emenda com pedaço de pau e liga. Paramos no quilometro 12, na casa de Biriba e sua esposa, ele não estava. Tomamos café e continuamos. Nos banhamos no açude de São Gaspar e prosseguimos até Senador Pompeu, na Casa de Luiz e Teresa. 

Dia 12 de junho - domingo
Nos levantamos muito cedo, e chegamos a Quixeramobim procurando algo para comer. Encontramos um cafézinho na saída do centro, comemos pão carioca com café. Seguimos nossa pedalada. Não demoramos muito andando e resolvemos parar debaixo de uma Jurema depois de 15km da cidade. Era aniversário da Amanda, dedicamos aquele almoço a data especial. Ficamos ali até as 4:30 da tarde. Entramos noite a dentro pedalando e fomos chegar as 10:30 da noite no quilometro 20, que fica a 20km de Senador Pompeu, conseguimos uma dormida no posto, onde tomamos um aperitivo com resto de comida em homenagem ao aniversário da Amanda.

Dia 11 de junho - sábado
Tomamos café da manha com Totô e Cilene, e iniciando nossa despedida o Totô nos apresentou um amigo seu que ao falar conosco começou a abordar um assunto sobre ações do governo ao mesmo tempo tecendo comentários sore a legalização da união matrimonial entre gays, falando isso com muita depreciação. Decidimos não entrar na discussão, pois estamos com o tempo apertado para hegar ao nosso destino, Bahia, até o dia 8 de julho. Despedimo-nos e saímos do Choró as 7h da manhã, no rumo de Quixadá. Após passarmos pela entrada que dá acesso a Fortaleza por Itapiuna Capistrano, Aracoiaba, saindo para Quixadá, nos deparamos com a recuperação da rodovia e saimos navegando pela estrada de barro batido. Em pouco tempo de estrada um susto: a bicicleta da Amanda afrouxou o guidão e desgovernada ela desceu o aterro de uns 3 metros. Mas ainda bem que levou só uns arranhões. Depois que ela levantou, sacudiu a poeira, e continuamos para Quixadá. Tudo que buscávamos era a Joana. Não a encontramos, mas seus vizinhos foram muito gentis conosco. Voltamos a tomar a estrada rumo a Quixeramobim nós íamos cantando e compondo uma canção que falava: "Q Choró, Quixadá, Q será, Quixeramobim " Fomos parar nossa brincadeira a 5km de Quixeramobim. Armamos nossa barraca no mato, na beira de um açude, e fomos ainda cantar e tocar violão até dormirmos.

Dia 10 de junho - 6º feira
Ao levantarmos, nos foi oferecido café da manhã pelo sr. Plauto e sua companheira.Seguimos em frente. Nossa parada seguinte foi na casa do sr. Chico Pereira, na localidade Bom Jesus, que liga Canindé a Choró Limão, já depois do Triangulo de Campos. O Chico já era velho conhecido do Inácio e da Ivânia, e inclusive aparece no filme do Ciclovida. Esse nos ofereceu almoço e boas conversas. Passando a hora mas quente, continuamos a viagem e chagamos a Choró Limão, mais ou menos às 8h da noite, e fomos bater na porta de Totô, que nos acolheu muito bem, nos deu dormida, banho, nos deixou usar a internet e falou de seus projetos como Coordenador da Colonia de Pescadores do Choró.

Dia 9 de junho - 5º feira
Saindo da barraca, fomos a beira do rio, onde fizemos cuscuz e café para comermos, lavamos roupa, tomamos banho e partimos. Chegando em Canindé, fomos visitar alguns lugares da cidade. Tentamos contactar alguns conhecidos, mas não conseguimos. Continuamos a viagem até a hora mais quente, quando paramos e fomos fazer nosso almoço. Saímos no final da tarde, e tivemos que parar em Japoara, porque a bicicleta da Amanda furou o pneu. Anoiteceu enquanto consertávamos em frente a casa do sr. Plauto, que nos ofereceu dormida num espaço em construção ao lado de sua casa, e lá ficamos.

Dia 8 de junho de 2011 - 4º feira.
São 3:30h, levantamo-nos: Amanda, Ivânia, Sandino e Inácio, e nos apressamos para pegar ma carona de ônibus escolar, do Salgado até o Trapiá, uns 8 km, nos deixando a outros 8km da BR-020. Chegamos bem a tempo, quando o Raul já estava ligando o veículo, só deu tempo mesmo de pormos nossas bikes dentro do ônibus e partimos. Chegando no Trapiá, percebemos que a bicicleta do Sandino estava de pneu seco. Remendamos e saímos. Chegamos as 9:30h na Lagoa do Juvenal, e até o meio-dia tiramos para terminar de consertar nossas bicicletas na oficina do Zé Maria, que ao invés de se prontificar para consertar a bicicleta do Inácio, nos ofereceu uma cargueira, que aceitamos prontamente em troca de uma bicicletinha magrela que necessitava de muita mão-de-obra e peças novas para ter condições de enfrentar a distância de 1.500km que separa fisicamente a sede do Ciclovida Brasil para o lugar escolhido para o ENCA 2011. Da Lagoa do Juvenal, reiniciamos o trajeto: saindo Sandino e Ivânia de ônibus para Fortaleza, e Amanda e Inácio, de bicicleta, rumo ao ENCA, que iniciará 8 de Julho, nas proximidades de Salvador - Bahia. Saindo da Lagoa do Juvenal, nossa primeira parada foi na banquinha de caldo de cana do Jandáia, na localidade de Humaitá, tomamos um copo de caldo de cana cada um, ofertados por Jandáia. Depois de tocarmos umas canções enquanto o Sol esfriava, seguimos viagem. Anoitecemos na estrada, e como estávamos na lua crescente, continuamos pedalando, e fomos dormir a uma distancia de 15 km para Canindé, às margens do rio de mesmo nome.
 

 

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
CAPTCHA
Essa pergunta é para testar se você é uma pessoa ou um spam.
19 + 0 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.